Existe tanta alegria na presença de um Deus que nos ama, que muitas vezes nos sentimos convidados a dançar. Quando Davi resgatou a arca da aliança, foi tomado por tamanho contentamento que manifestou seu louvor com todas as suas forças.

“Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor; e estava cingido de uma estola sacerdotal de linho”. 2 Samuel 6.14

Sabemos que o contraste da alegria é tristeza e quando enfrentamos nossas lutas externas ou internas, tal desconforto pode até nos faz desfalecer. É como se estivéssemos em um velório em que a esperança não está presente. Nesses dias não sentimos vontade de celebrar. Tudo se torna distante e frio. É o dia em que vertemos lágrimas e não temos muita certeza do futuro. Nesses dias, Ele também nos convida a “dançar”. E dançamos quando confiamos.

Quando pensamos a respeito de , geralmente associamos a feitos grandes e milagrosos, e sem dúvida esses sinais também tem a ver com fé. Mas fé, é confiar no amor de Deus ainda que nossos dias sejam cheios de tribulações. Fé, é sustentar um coração firme mesmo em dias de desilusões, é ir para os pés da cruz nos momentos de tristezas tanto quanto nos momentos de alegria.

Davi é exemplo de um homem que entregava seu tudo a Deus, tanto seus melhores dias quanto suas piores derrotas. E isso foi um diferencial em sua vida e história. Ele aprendeu a cultivar um coração grato ao Senhor. Ele aprendeu a se humilhar e a exaltar aquele que É Digno de todo louvor. Ele aprendeu sobre fé exercendo confiança e gratidão.

Que hoje possamos dançar sobre as asas do vento, que sejamos embalados pelo amor gracioso de Cristo. Que mesmo em momentos de contradições, medo, dor ou tristeza possamos cultivar um coração que confia e ama a Deus sobre todas as coisas. E quando a alegria inundar nossa alma possamos celebrar ao Senhor com melodias, sons, adufes e danças.

“Louvai-o com adufes e danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flautas”. Salmos 150.4

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Atualmente dedica uma parte do seu tempo para ensinar artes para crianças em uma ONG em Florianópolis e outra parte do tempo para trabalhar com justiça social, com foco em tráfico humano. Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.
Fechar