O que significa seguir os passos do amor? A Bíblia nos afirma que não tem maior amor do que este: “de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.” (João 15.13). Este foi o exemplo de Jesus, e hoje quero refletir sobre os passos do amor que Ele direcionou a nós quando se entregou na cruz.

Jesus deixou toda a sua glória para nascer como um frágil menino na terra dos homens. Ele foi concebido a Maria pelo Espírito Santo e cresceu como uma criança normal. Talvez, tenha sofrido “bullying” e enfrentando tanta das emoções e dificuldades que uma criança enfrenta nos dias de hoje. Por isso, Ele conhece o nosso coração e se identifica conosco até mesmo nos pequeninos detalhes de nossa história. Ele sabe de todo o sofrimento que já enfrentamos e continuamos a enfrentar. Mas a graça de Deus estava sobre Ele.

“Crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.” Lucas 2.40

“E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens”. Lucas 2.52

Jesus teve um desenvolvimento saudável em todas as áreas de sua vida: pessoal, intelectual, físico e espiritual. Desde pequeno Ele aprendeu a andar com Deus. Ele foi criado na fé judaica, ia ao templo, e todos ficavam admirados de sua sabedoria. Mas lembre-se: a graça de Deus estava sobre Ele. E quer saber mais?  A mesma graça já foi liberada sobre nós por meio da salvação. Nós também podemos seguir o exemplo de Jesus e os passos do amor. Mas não pense que isso é um esforço meramente humano. Nós só podemos viver segundo a sua vontade na dependência do Espírito Santo.

Então, paremos um pouco para refletir sobre como Jesus viveu aqui na terra. Como Ele se relacionava com o Pai e com as pessoas a sua volta? Tanto, aqueles que eram mais próximos, seus discípulos por exemplo.  Como também a multidão, que estava sempre a lhe buscar por conta de suas necessidades e anseios desesperados. Como Jesus tratava as mulheres e as crianças? Compare a forma a como elas eram tratadas na cultura vigente e como Jesus as tratou, acolheu e as amou.

Jesus nos ensina a respeito de uma fé que não se prega apenas com palavras, mas acima disso, com ações. Ele é sábio em responder aos fariseus, Ele amava os pecadores e sempre tinha uma palavra de encorajamento. Ele oferecia amor e perdão. Ele se retirava da multidão para estar a sós com Deus porque Ele sabia de onde vinha a sua força, e a sua fé. Ele sabia de onde vinha a sua esperança, a sua ousadia e a sua confiança. Ele só fazia o que via o Pai fazer.  Então, Ele se afastava para orar.

“Ele, porém, se retirava para lugares solitários e orava.” Lucas 5.16

Agora que estamos caminhando para o fim deste texto quero que observemos as nossas próprias vidas. Sim, vamos parar e analisar o nosso modo de viver a luz de Deus e de sua Palavra. Como tem sido o nosso proceder diante de Deus e dos homens? O quanto Deus já operou em nós e que passo de Jesus nós temos seguido? Será que temos tratado as pessoas assim como Jesus as trata?

Vamos exercitar nosso olhar? Hoje quando pegarmos o ônibus ou mesmo nos assentarmos para tomar um café em algum lugar, vamos perguntar ao Senhor o que Ele pensa do “desconhecido”  perto de nós? Vamos tentar imaginar o Deus que se entregou na cruz não apenas por mim ou por você de forma individual. Mas por alguém que “cruza” o nosso caminho na correria da vida. Ás vezes a gente nem consegue perceber direito o propósito de Deus na vida delas, não é mesmo?

Que seja ao menos para trocar um olhar, um sorriso e demonstrar de forma carinhosa o amor de Deus e o cuidado do Senhor em pequenos detalhes. Seja ao menos para fazer uma oração em nossos pensamentos pedindo que o Senhor abençoe aquelas pessoas ali no “buzão”. Elas podem até ser desconhecidas a nós, mas são conhecidas pelo Senhor. Nosso olhar e visão serão ampliados, nosso coração estará sensível porque nós estaremos andando com o Senhor e como Jesus andou. Nós estaremos seguindo os passos do amor.

“Quem declara que permanece nele também deve andar como Ele andou.” 1 João 2.6

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Atualmente dedica uma parte do seu tempo para ensinar artes para crianças em uma ONG em Florianópolis e outra parte do tempo para trabalhar com justiça social, com foco em tráfico humano. Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.
Fechar