FHOP

Desconstruindo os muros que antes nos separavam

Relacionamento

 

Talvez você já tenha ouvido a história de que nosso coração pode ser como uma casa sem muros, sendo assim, todos e tudo tem livre acesso porque não estabelecemos limites. Então, sem dúvida, podemos nos machucar, porque sem limites certamente seremos usados como um objeto qualquer.  

Em meio as nossas feridas e abusos sofridos ao longo de nossa caminhada, muitas vezes construímos muros, muros tão altos que podem se tornar prisões. E este lugar que fora criado para nos proteger dos males lá fora, tornam-se paredes, calabouços em nossa alma, muralhas grandes demais para transpormos. Na verdade, impossível, sem a ajuda do Espírito de Deus.

Hoje, você consegue ouvir o Senhor dizendo: “Estou aqui para escalar seus muros e abrir as portas do calabouço que um dia te mantivera preso e longe dos relacionamentos. Estou aqui para extinguir teus medos e te mostrar que o verdadeiro amor firma teus passos”?

John Bevere afirma que “se não corrermos o risco de nos ferirmos, não podemos dar amor incondicional. O amor dá às pessoas o direito de nos ferir.” Quando permanecemos no amor de Deus aprendemos a lidar com as decepções e frustrações humanas. Aprendemos a lidar com a traição liberando perdão e graça sobre aqueles que nos feriram e de alguma forma nos machucaram.

Então, a pequena história termina nos contando como deve ser o nosso coração. Ele deve ser como uma casa com pequenas cercas baixas e um portão. Um lugar onde de dentro podemos ver quem está a porta, e, assim decidimos o que queremos que entre, então, só então, abriremos o nosso portão. Nem a ausência da cerca e nem muralhas construídas nos darão a liberdade que precisamos para amar de forma livre e incondicional.

Deus é amor. Só podemos amar como Ele ama se permanecermos n’Ele. O amor deixa nosso coração terno. É como uma briza suave, é como o frescor da manhã. É como a esperança em dias de solidão, aquela luz lá bem longe no fim do túnel. É como a chuva que cai e molha a terra trazendo de volta a vida e as flores na primavera.

“E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

“No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. 1 João 4.16,18

Jesus, se entregou na cruz nos ensinando o caminho do amor. Não um amor que teme ser ferido, mas um amor que nos faz confiante e cheios de fé. Não um amor de tormento, mas um amor que espera contra a esperança. “Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.” 1 João 4.19-20

Oremos pedindo que o Senhor nos ensine o verdadeiro amor, que permaneçamos nele e Ele em nós. Que não tenhamos medo de amar. Que não tenhamos medo de viver plenamente nele.

Escrito por Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso e apaixonada por missões,
Nayla tem um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social e seu desejo é que o nome de Jesus seja conhecido entre todos os povos e tribos da Terra. É missionária em tempo integral desde 2011, onde serviu por 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão).
E atualmente faz parte da Florianópolis House of Prayer como Missionária Intercessora.

Comentários

comentários

Pin It

» Relacionamento » Desconstruindo os muros que antes...
Em 2 de fevereiro de 2017
, ,

Commentários desabilitados.

« »