“Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo.” Sl. 27:4

Reli recentemente o livro “Uma coisa” escrito por Dwayne Roberts. O título em inglês (Onething) carrega mais significado do que a tradução para o português. Mas, essa uma coisa é, na verdade, uma pessoa: Jesus. Brennan Manning também escreveu um livro intitulado “o evangelho maltrapilho”, que trata do mesmo tema.

Esses dois homens escreveram sobre a experiência de reajustar suas agendas em prol do que é eterno. Eles estão em boa companhia, pois Paulo também fez isso:

E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo.” Fl. 3:8

Jesus é e sempre foi o princípio e o fim. Ele é o Alfa e o Ômega. Ele é Aquele que pagou o preço pra que nosso relacionamento com o Pai fosse restituído. Nossa conversão começa com um gesto dEle em nossa direção e não nosso na direção dEle. Embora ao longo da jornada, por motivos diversos, percamos o foco, é imprescindível ajustá-lo.

São as distrações que nos roubam desse lugar de dependência. O apelo social e até ministerial pode nos distanciar da simplicidade do evangelho, da obra da cruz. Escrever sobre simplicidade e profundidade de nosso relacionamento com o Senhor requer vulnerabilidade.

Por isso, reconhecer que andamos algumas milhas na direção errada, é o primeiro passo para correção da rota. Isso é imprescindível, já que o custo do erro pode resultar no distanciamento de uma vida com significado. Embora algumas atividades sejam legítimas, não devemos desperdiçar energia com algo que jamais nos satisfará.

Quando a alegria da salvação fica aguada e a rotina subtrae nosso tempo com o Noivo é hora de rever nossas prioridades. Por isso, quando na oração ficamos sem assunto, isso também é um sinal de alerta. Pessoas apaixonadas nunca ficam sem assunto. Elas ajustam o que for preciso em seu dia ou semana para usufruir da companhia da pessoa amada.

Maria, à semelhança de Paulo, considerou tudo mais como perda. Por isso, sentou-se aos pés de Jesus e escolheu a boa parte. O amor nos conduz a atitudes de abandono e dependência. Encorajo-o a convidar o Espírito Santo a sondar seu coração. Permita que Ele o atraia para níveis de relacionamento mais profundos.

Portanto, viver para audiência de apenas um par de olhos é sábio. Ele é suficiente para preencher cada vazio de nosso coração. Sua beleza é fonte de contentamento inesgotável, por isso, não devemos nos contentar com nada menos. Creia que existe vida abundante para os que ousarem buscar apenas “Uma coisa”.

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!
×
×

Carrinho

Fechar